/ Gestão Financeira

Capital de giro líquido: entenda o que é e aprenda a calcular

O bom funcionamento de uma empresa depende da sua saúde financeira. Se o lucro não estiver em alta e as contas não forem pagas, o empreendimento é capaz de entrar em déficit e falir. No entanto, bem todos os empreendedores entendem a importância do capital de giro líquido para não se envolverem neste problema.

Não é possível manter uma empresa sem dinheiro. Mas de qual quantia exatamente o seu negócio precisa para manter-se estável? É isso o que você irá descobrir neste artigo.

Prezar pelo capital de giro líquido garante um fluxo de caixa positivo, o cumprimento das dívidas e o funcionamento sustentável da sua empresa.

Quer entender melhor o que é o capital de giro, capital de giro líquido e por que esses recursos são tão relevantes para o seu negócio? Continue a leitura!

O que é capital de giro?

Mais do que ter dinheiro para sair do papel, uma empresa precisa de recursos para manter-se em pleno funcionamento e quitar os gastos do dia a dia.

O capital de giro, também conhecido como ativo circulante, é o valor que a empresa tem para custear e manter as despesas operacionais rotineiras.

Esse valor é resultado da diferença entre o dinheiro que a empresa tem disponível pelas suas dívidas – sejam essas fixas ou gastos com produção, comercialização ou prestação de serviço.

Esse é o dinheiro que faz a empresa acontecer e o negócio “girar”.

É o capital de giro que assegura que haja condições de comprar insumos para a produção em uma indústria, mercadorias para a revenda no comércio ou ferramentas para a execução de serviços, além do pagamento de impostos, salários e outras despesas operacionais.

O capital de giro também é aquele que torna possível vender a prazo, pois é o recurso que mantém a empresa ativa enquanto os pagamentos entram aos poucos.

Essa é uma reserva de recursos de rápida renovação, voltada a suprir as necessidades da gestão financeira do negócio ao passar dos dias. Esses recursos são encontrados nas contas a receber, no estoque, no caixa ou na conta corrente bancária.

Percebe agora que, se não há capital de giro, a continuidade das operações pode ser comprometida ou mesmo interrompida?

O capital de giro líquido

Indo um pouco além no conceito de capital de giro, vamos falar agora da importância do capital de giro líquido.

Assim como o capital de giro, o capital de giro líquido leva em conta o ativo circulante e o passivo circulante dos negócios, que são formados por receitas e despesas financeiras e operacionais.

No entanto, o capital de giro está restrito aos fatores relacionados com a operação da empresa, excluindo assim o saldo disponível (ativo) e empréstimos (passivos). Esses exemplos, por sua vez, entram na conta do capital de giro líquido.

O ativo circulante representa o dinheiro que você já tem ou que vai receber a curto prazo (em no máximo um ano). É a quantia em caixa, em contas bancárias, suas aplicações financeiras, as contas a receber, os materiais em estoque e mais.

Já o passivo circulante diz respeito ao que você precisa pagar. Ele envolve os empréstimos realizados, os impostos, o pagamento de funcionários e fornecedores, etc.

O capital de giro líquido, ou capital circulante líquido (CCL), corresponde ao valor necessário para que o empreendedor honre todos os seus compromissos financeiros no curto prazo.

Como calcular

A necessidade do capital de giro líquido varia de acordo com o ciclo de caixa da empresa. Quanto maior o prazo para uma empresa receber, mais longo será o ciclo de caixa e a maior a demanda de dinheiro para custear a operação.

O cálculo do capital de giro líquido pode ser resumido pela equação:

CGL (capital de giro líquido) = AC (Ativo Circulante) – PC (Passivo Circulante)

Entretanto, chegar no valor exato dessa conta exige atenção a muitos aspectos:

O ativo circulante nem sempre está disponível de imediato. Se você vende a prazo, por exemplo, precisa considerar que há uma lacuna entre a realização da venda e o recebimento do pagamento.
O estoque precisa ser levado em conta. Você precisa manter um estoque funcional para atender à necessidade do cliente assim que ela surgir. Mas lembre-se que mercadoria parada tem um custo – que também depende do capital de giro.
O dinheiro que a empresa de fato tem disponível – em caixa, conta bancária e outros – também entra no cálculo.
Para auxiliar na identificação dos ativos e passivos circulantes da sua empresa, listamos alguns exemplos:

Ativos Circulantes

Dinheiro em caixa;
Dinheiro em banco;
Aplicações financeiras;
Duplicatas;
Contas a receber;
Mercadorias e bens em estoque.
Passivos circulantes

Fornecedores;
Contas a pagar;
Folhas de pagamento;
Encargos sociais;
Impostos;
Empréstimos;
Dívidas com vencimento em um ano.
Se o resultado do cálculo do capital de giro líquido der negativo, significa deficiência, o que é um péssimo sinal para a saúde financeira da sua empresa. Esteja atento!

E como prevenir a insuficiência de capital de giro líquido?

É muito simples prevenir a sua empresa da insuficiência do ativo circulante e garantir a o capital de giro líquido do seu negócio. Aqui vão algumas dicas:

Tenha claro controle sobre os inadimplentes;
Documente todos os processos financeiros da empresa;
Busque renegociar dívidas para o longo prazo;
Tenha total conhecimento tanto do fluxo de caixa quanto do ciclo financeiro (tempo entre o pagamento a fornecedores e o recebimento das vendas);
Mantenha uma política de redução de custos e despesas.
A análise minuciosa do capital de giro líquido indica se sua empresa está com uma boa administração do caixa e auxilia a controlar melhor o estoque, as vendas por crédito e as metas do planejamento estratégico.

Se o capital de giro líquido estiver em baixa, vale a pena considerar o adiantamento dos recebíveis ou a realização de um empréstimo.

Por mais que a lucratividade da sua empresa seja alta, é fundamental ter um bom capital de giro. Só assim é possível manter o ritmo de crescimento satisfatório e atender a demanda dos clientes!

Agora que você sabe o que é capital de giro líquido e como calculá-lo, é hora de cuidar do lucro da sua empresa. Saiba mais sobre o assunto com o e-book gratuito “Lucratividade e Rentabilidade: quais são as principais diferenças?”.

Natália Lima

Natália Lima

Co-Founder & CFO - Keruak Software. Carreira em Administração de Empresas. MBA em Controladoria e Gestão Estratégica. Para se ter sucesso basta dar o melhor de si e deixar os resultados com Deus.

Read More