/ Vendas

Como precificar um produto: 5 passos para encontrar o preço ideal

Todo empreendedor já viveu uma das dúvidas empresariais mais complicadas: como precificar um produto?.

Sempre há receio se os potenciais clientes irão achar caro o valor cobrado ou se o preço não está abaixo do praticado pela concorrência, o que pode acarretar prejuízos.

Mas a definição do preço de venda não precisa ser um fantasma! É claro que este é um trabalho de extrema relevância para o sucesso da empresa, afinal, só praticando preços justos é possível obter lucro. Mas essa tarefa só exige cuidado e empenho.

A precificação é a definição de valores para seus produtos e mercadorias. Parece simples e, por isso, a maioria dos empresários acha que a precificação é um assunto para ser pensado apenas no início das atividades ou no lançamento de um produto.

Mas é preciso lembrar que o processo de precificação deve ser constantemente revisado e refeito.

Pensando nisso, separamos os principais passos que você deve seguir na hora de aprender como precificar um produto. É hora de fugir da guerra com os concorrentes!

Conheça seus custos e despesas

Na hora de entender como precificar um produto, saiba que o primeiro passo é conhecer profundamente seus custos e despesas.

Saiba distinguir seus custos, sejam eles fixos ou variáveis. Os custos fixos são aqueles que, independentemente do volume vendido, vão permanecer de qualquer maneira, como salários dos colaboradores, aluguel, matéria-prima e mais.

Já os custos variáveis são aqueles diretamente ligados com a quantidade produzida, com suas vendas e serviços prestados.

Apurados os custos, o empreendedor precisa estabelecer um percentual de retorno sobre esses gastos e adicionar a estes valores.

Se um produto tem custos fixos e variáveis de R$100,00 e for decidido que um percentual de 50% é adequado como retorno, então o produto terá o custo final de R$150,00.

São muitos os custos do seu negócio, por isso, temos um artigo especial para te auxiliar a identificar e calcular todos, a fim de potencializar seu lucro. Aprenda a mapear a estrutura de custos do seu negócio!

Não se esqueça do valor agregado

Tão importante quanto dominar todos os custos do seu negócio é conhecer o valor agregado do produto.

Além de levar em consideração o custo de produção, é importante levar em conta fatores como a imagem da empresa, exclusividade do produto, qualidade, garantia, número de players atuantes e outros valores intangíveis.

Entenda o que o que o seu produto irá agregar positivamente na vida do consumidor, além do consumo óbvio.

Defina sua margem de lucro

Como falamos no item 1, depois de mapear os custos, é importante definir a margem de lucro almejada com a venda do produto.

O seu preço não deve ser apenas o suficiente para cobrir o custeio – é preciso que haja lucro para que o negócio prospere.

O lucro é o resultado da diferença entre o faturamento gerado pelas vendas do seu produto e os custos e despesas existentes.

O lucro bruto é aquele que você obtem se considerar apenas os gastos relacionados à execução da atividade e o líquido ao incluir todas as saídas do caixa.

A maioria das empresas do mundo empresas estabelecem como meta de retorno cerca de 15% ao ano sobre seu valor de capital próprio.

No entanto, não existe uma margem de lucro ideal que se aplique a todo o tipo de empresa.

Cabe a cada empresário definir uma margem de lucro equilibrada, visando a rentabilidade e sustentabilidade do negócio.

Basta ter em mente que preços muito baixos comprometem as finanças, enquanto valores mais altos do que os praticados pela concorrência afastam os clientes. Por isso, consulte sempre o mercado e a tabela do seu sindicato, se houver.

Faça pesquisa de mercado

Na hora de estudar como precificar um produto, leve em consideração que a definição do preço também precisa ser pautada na concorrência.

Por isso é importante fazer pesquisas de mercado, para avaliar produtos similares e verificar o preço final dos produtos da concorrência e entender quanto o mercado está disposto a pagar.

É claro que algumas marcas, eventualmente, realizam campanhas de venda jogando os preços para baixo, temporariamente. Lembre-se que essa é uma estratégia de enfrentamento pontual, mas não um valor da empresa. Portanto, não deve ser considerada na sua definição real do preço.

Se o preço praticado pela concorrência estiver significativamente abaixo do calculado por você, tente otimizar processos e renegociar condições com seus fornecedores.

A matemática ajuda a saber como precificar um produto

É claro que os itens anteriores são muito relevantes na hora de precificar um produto. No entanto, eles podem ser muito subjetivos, e entendemos que precificação também exige praticidade.

É claro que, se formos propor uma equação básica para te ajudar a saber como precificar um produto, seria:

Custo do produto + despesas fixas (aluguel, água, luz, telefone, salários dos funcionários) + despesas variáveis (impostos e comissões) + percentual de lucro = preço final

Entretanto, há outras fórmulas que te ajudam como precificar um produto com mais precisão.

O cálculo percentual do custo fixo, por exemplo, é o primeiro passo para obter um preço de produto mais exato:

% CF = média mensal de custo fixo x 100 / média mensal de vendas

Depois, basta determinar a taxa de marcação (TM). Nessa fórmula, CC é custos de comercialização, que correspondem aos gastos relativos para vender os produtos, como impostos e comissões.

TM = 1 – % CC + % CF + % Lucro / 100

Depois, é hora de considerar o custo de mercadoria vendida (CMV), que significa o valor pago para a compra do produto, negociado com o consumidor final.

Depois disso, finalmente é possível encontrar o preço de venda exato, peça fórmula:

PV = CMV / TM

Por que é tão importante definir um preço de venda exato?

Agora que você conhece os melhores caminhos para aprender como precificar um produto, é preciso refletir porque você deve sair em busca de preços exatos e justos.

Satisfação do cliente: praticar um preço que se ajusta ao bolso do cliente é o combustível para a fidelização.
Competitividade: uma política de preço possibilita ao gestor conhecer até onde pode ir para se manter competitivo.
Descontos: definindo uma margem mínima aceitável de preço assegura que a empresa não acabe tendo prejuízos na venda.
Lucro: a precificação certa garante que sempre haja dinheiro em caixa para o custeio da operação e o pagamento das obrigações, como salários e impostos. Além disso, o lucro é garantido, possibilitando investimentos e crescimento.

A lei da oferta e da procura também impacta na precificação

Lembre-se que a competitividade está acirrada, logo, é possível que em algum momento específico a concorrência pode oferecer produtos semelhantes ao seu a preços menores.

Neste caso, se há uma grande oferta de um mesmo produto com preços diferentes, os clientes certamente escolherão a loja mais barata.

Esteja atento a este fator, mas lembre-se de que, se os preços forem pequenos demais, eles podem corromper a sua margem. Por outro lado, se forem altos, podem encalhar seus produtos no estoque.

Tão importante quanto essas dicas de como precificar um produto, é ter em mente o equilíbrio na hora de realizar essa tarefa.

Fique de olho nos seus custos, mas não se esqueça de avaliar o preço que o mercado está praticando e como está o cenário econômico do país.

Isso é importante para chegar a um valor que não gere resultados financeiros negativos, mas que também não afaste seus clientes.

Natália Lima

Natália Lima

Co-Founder & CFO - Keruak Software. Carreira em Administração de Empresas. MBA em Controladoria e Gestão Estratégica. Para se ter sucesso basta dar o melhor de si e deixar os resultados com Deus.

Read More