/ Gestão Financeira

Demonstrações Financeiras: o que são e qual sua importância?

O gestor de uma empresa precisa, constantemente, tomar decisões sobre investimentos e outras atividades financeiras. Para que o negócio não siga um ritmo negativo e a saúde financeira seja mantida, a melhor alternativa é analisar demonstrações financeiras para embasar as deliberações.

Elaborar e analisar demonstrações financeiras é a melhor forma de fazer um diagnóstico real sobre a situação econômico-financeira da empresa.

Relatórios financeiros com poucas informações podem se tornar a ruína de muitas empresas.

Se você quer tomar decisões mais assertivas na sua empresa e não falhar na prestação de contas, continue a leitura e entenda a importância das demonstrações financeiras.

O que são as demonstrações financeiras?

Antes de conhecer quais são as demonstrações financeiras que sua empresa precisa fazer, é fundamental entender o que são esses documentos.

Demonstrações financeiras são apresentações capazes de informar a situação financeira geral de uma empresa.

Esses relatórios contábeis são muito úteis para auxiliar uma empresa a organizar o orçamento e tomar decisões de gestão.

É com base nas demonstrações financeiras que é possível apurar impostos, controlar o fluxo de caixa, realizar investimentos mais rentáveis e gerenciar melhor o negócio como um todo.

As empresas são obrigadas a prestar contas anualmente através das demonstrações financeiras. Além disso, elas são utilizadas por diversos stakeholders interessados na empresa: investidores, credores, clientes, entre outros.

Qual a importância das demonstrações financeiras?

É através das demonstrações financeiras de uma empresa que a equipe de finanças, um investidor em potencial e os sócios podem tomar decisões mais seguras.

É por meio da análise das informações contidas nas demonstrações financeiras que as organizações conseguem aprovar financiamentos, pois ali estão discriminados os recursos disponíveis em caixa e sua capacidade de pagamento.

As demonstrações financeiras são capazes de discriminar todos os gastos, o retorno sobre investimentos e o faturamento previsto.

Os tipos de demonstrações financeiras

Existem seis tipos de demonstrações financeiras: Balanço Patrimonial, Demonstração de Resultados do Exercício (DRE), Demonstração dos Lucros ou Prejuízos Acumulados, Fluxo de Caixa, Demonstração do Valor Adicionado e o complemento de Notas Explicativas.

Entenda cada uma das demonstrações financeiras:

Balanço Patrimonial

Talvez considerada a principal demonstração financeira, o Balanço Patrimonial é o documento no qual a empresa consegue mostrar como está seu patrimônio, explicando a posição financeira atual da empresa.

É geralmente realizado ao final do ano, para realizar o acompanhamento do negócio de janeiro a dezembro.

Seu objetivo é equilibrar o patrimônio, analisando ativos, passivos e o patrimônio líquido. Nesta demonstração financeira, o objetivo é identificar os itens que geram benefícios econômicos, como as aplicações.

O Balanço Patrimonial apresenta duas colunas, uma para o ativo e outra para o passivo.

Na primeira, estão descritos os direitos e bens de uma organização, que é tudo o que gera valor para a empresa. Na coluna do passivo, são descritas as obrigações da empresa, como os valores a serem pagos.

A diferença entre o ativo e o passivo é o patrimônio líquido. Se o ativo é positivo, indica que a empresa está apta a arcar com seus compromissos. Caso contrário, é o cenário de “passivo a descoberto”, que indica que a empresa deve mais do que é capaz de pagar.

Demonstração de Resultados do Exercício (DRE)

A Demonstração de Resultados do Exercício (DRE) apresenta de forma vertical e resumida o resultado apurado em relação às operações realizadas em um determinado período, geralmente de 12 meses.

A DRE precisa discriminar:

A receita bruta das vendas e serviços, as deduções das vendas, os abatimentos e os impostos;
A receita líquida das vendas e serviços, o custo das mercadorias e serviços vendidos e o lucro bruto;
As despesas com as vendas, as despesas financeiras, deduzidas das receitas, as despesas gerais e administrativas e outras despesas operacionais;
O lucro ou prejuízo operacional;
O resultado do exercício antes do Imposto sobre a Renda e a provisão para o imposto;
O lucro ou prejuízo líquido do exercício e o seu montante por ação do capital social.

Demonstração dos Lucros ou Prejuízos Acumulados (DLPA)

A Demonstração dos Lucros ou Prejuízos Acumulados indica as alterações ocorridas no saldo da conta de lucros ou prejuízos acumulados, no Patrimônio Líquido.

A DLPA é obrigatória para as sociedades limitadas e outros tipos de empresas, conforme a legislação do Imposto de Renda (art. 274 do RIR/99).

A Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados deve discriminar:

O saldo do início do período e os ajustes de exercícios anteriores;
As reversões de reservas e o lucro líquido do exercício;
As transferências para reservas, os dividendos, a parcela dos lucros incorporada ao capital e o saldo ao fim do período.

Fluxo de Caixa

O Fluxo de Caixa é a demonstração financeira que indica a posição financeira da empresa dentro de um determinado período, seja diário, semanal, mensal ou anual.

É nesse registro que é possível avaliar quanto de dinheiro entrou e saiu da empresa em período de tempo específico, de acordo com análise do caixa interno, das aplicações financeiras e das contas bancárias.

O fluxo de caixa permite saber exatamente onde os recursos financeiros foram aplicados e quais as suas origens, oferecendo melhor controle sobre o fluxo financeiro.

Assim, com o fluxo de caixa é possível fazer um planejamento mais preciso sobre os recursos disponíveis e necessários para cada movimentação financeira.

Demonstração do Valor Adicionado

A Demonstração do Valor Adicionado informa quais foram as riquezas geradas durante um período específico de movimentação financeira da empresa.

Essa demonstração avalia o papel da organização na geração de riquezas, ao analisar a forma que ela contribuiu para o desenvolvimento social e a economia de maneira geral.

A Demonstração do Valor Adicionado compara os valores de entradas e saídas com base no princípio de responsabilidade social, mensurando o quanto essa riqueza esteve ligada ao bem social.

Nesse documento, além de importar o lucro da empresa, é avaliado se ele esteve relacionado positivamente às causas sociais.

Notas Explicativas

As Notas Explicativas fornecem as informações necessárias para o esclarecimento da situação patrimonial da empresa, de determinada conta, saldo ou transação, ou de valores relativos aos resultados do exercício, ou para mencionar fatos que podem alterar futuramente tal situação patrimonial.

As Notas Explicativas poderão estar relacionadas a qualquer outra das Demonstrações Financeiras, como a Demonstração do Valor Adicionado ou Fluxo de Caixa.

As Notas Explicativas são frequentemente usadas para:

Apresentar informações sobre a base de preparação das demonstrações financeiras e das práticas contábeis específicas aplicadas para negócios e eventos significativos;
Divulgar as informações exigidas pelas práticas contábeis adotadas no Brasil que não estejam apresentadas em nenhuma outra parte das demonstrações financeiras;
Fornecer informações adicionais não indicadas nas próprias demonstrações financeiras e consideradas necessárias para uma apresentação adequada.
As demonstrações financeiras são a melhor maneira de obter informações sobre a posição patrimonial e financeira empresa, bem como entender o fluxo financeiro, dados que são indispensáveis para que um gestor tome decisões mais conscientes.
Além das demonstrações financeiras, outra alternativa muito útil para avaliar a saúde financeira da empresa e tomar decisões mais assertivas é realizar um diagnóstico financeiro. Aprenda como fazer com o e-book gratuito sobre o assunto.

Natália Lima

Natália Lima

Co-Founder & CFO - Keruak Software. Carreira em Administração de Empresas. MBA em Controladoria e Gestão Estratégica. Para se ter sucesso basta dar o melhor de si e deixar os resultados com Deus.

Read More