/ Finanças

Estrutura de Custos: Entenda como mapear a do seu negócio ainda hoje

Diante de um mercado mais globalizado e competitivo, é vital para a as empresas mapear a sua estrutura de custos e controlar adequadamente cada um desses gastos.

A falta de consciência e de acompanhamento dos custos pode gerar o descontrole financeiro, que leva o fracasso de muitas organizações.

Mapear a estrutura de custos do seu negócio é a melhor atitude que um empreendedor pode ter para prevenir-se de problemas de ordem financeira.

No entanto, muitos empreendedores, principalmente os iniciantes, deixam o mapeamento da estrutura de custos em segundo plano acabam por focar em outras ações que lhe parecem mais relevantes, como o sucesso da área comercial, a prospecção de clientes e o aprimoramento do produto.

No entanto, todas as áreas da empresa estão interligadas e todas, de alguma forma, geram custos. Por isso é importante estar atento!

Muitas empresas estabelecem a sua tabela de preços, por exemplo, sem levar em conta a estrutura de custos. Uma consequência grave disso é o comprometimento do lucro.

O mercado está exigindo que as empresas tenham domínio sobre seus custos para se manterem na ativa. Aprenda como identificar a estrutura de custos do seu negócio!

Custos vs. Despesas

Para fazer um mapeamento correto da estrutura de custo, é necessário, primeiramente, entender qual gasto de dinheiro de fato configura-se como um custo.

Consideramos custo todo e qualquer gasto relativo a aquisição ou produção das mercadorias, como matéria-prima, mão de obra e outros gastos gerais de fabricação, como depreciação de maquinário, energia elétrica, materiais de conservação e outros.

É muito comum que despesas sejam confundidas com custos, por sua proximidade conceitual. As despesas são os gastos relativos à administração da empresa, como com a área comercial, marketing e financeiro.

As despesas são os gastos que uma empresa faz para manter sua estrutura funcionando, porém, não têm influência direta na geração de novos produtos que serão comercializados.

Os custos, portanto, são atribuídos ao produto final. Já as despesas são de caráter geral e possuem difícil vinculação aos produtos obtidos.

Caso haja dúvidas na hora de identificar se algo é um custo uma defesa, questione-se: se eu eliminar este gasto a produção ou obtenção de estoques seria diretamente afetada?

Se a resposta for sim, você encontrou um um custo, pois ele está vinculado à produção.

Mapeando a estrutura de custos

Para poder identificar sua estrutura de custos, o primeiro passo é aprender a diferenciá-los.

Em geral, uma empresa conta com custos diretos e indiretos e custos fixos e variáveis. Entenda a descrição de cada um deles.

Custos diretos e indiretos do negócio

Custos diretos são aqueles que estão diretamente ligados a um produto. São mensuráveis, porque devem ser incluídos de forma direta no cálculo da produção, individualmente considerados.

Por terem ligação direta com os produtos da empresa não são submetidos a critérios de rateio para alocação.

São exemplos custos diretos:

Matérias-primas usadas para a fabricação de um produto;
Mão de obra direta;
Serviços subcontratados que são aplicados diretamente na produção;
Salário dos funcionários e os encargos sociais, provisão de férias e décimo-terceiro salário;
O custos indiretos são aqueles que não são identificados diretamente nos produtos e serviços.

Os custos indiretos não podem estar relacionados a produtos específicos, logo, há a necessidade de serem submetidos a critérios de rateio para alocação.

Veja alguns exemplos:

Mão de obra indireta, como o trabalho nos departamentos auxiliares nas indústrias ou prestadores de serviços e que não são mensuráveis em nenhum produto ou serviço executado, como a mão de obra de supervisores, controle de qualidade, vigilância, limpeza e manutenção de equipamentos.
Materiais indiretos, como aqueles que são empregados nas atividades auxiliares de produção, como por exemplo graxas, lubrificantes, lixas, etc.
Gastos com seguros, depreciação de equipamentos e aluguéis.
Custos fixos e variáveis
Os custos podem ainda ser classificados de acordo com a sua periodicidade.

Os custos fixos são aqueles que não sofrem variações influenciados pelo volume de produção.

São classificados como gastos fixos:

Aluguel;
Serviços de vigilância e segurança;
Telefonia;
Limpeza;
Manutenção;
No entanto, é errado afirmam que esses custos jamais estarão sujeitos a alterações. O aluguel, por exemplo, pode sofrer ajustes e, mesmo assim, continuará elencado na categoria dos custos fixos, uma vez que tais reajustes não estão relacionados às oscilações de produção da empresa.

Os custos variáveis são aqueles ligados diretamente à produção da empresa, que podem sofrer alterações de um período para outro.

Exemplos:

Matéria-prima – quanto maior é a produção, mais material é utilizado, logo, maior é o gasto.
Comissões;
Fretes de venda;
Outros insumos diretos;
Mesmo que o volume de produção permaneça estável por um bom tempo, esses custos jamais serão enquadrados como fixos, pelo fato de sempre estarem atrelados à produção.

Definindo sua estrutura de custos

Sua estrutura de custos pode ser caracterizada por diferentes modelos de negócio. Entenda:

Custo conduzido

São para empresas que trabalham com estrutura de custos reduzida, que conseguem entregar um serviço de qualidade, porém devido à sua estrutura de custo enxuta consegue entregar valor para o cliente com um preço mais baixo que a concorrência.

Orientada por valores

São empresas que possuem altos custos empresariais, mas cujo posicionamento de mercado são de empresas que entregam alto valor agregado para o cliente. Costumam trabalhar conceitos de exclusividade e escassez.

Economias de escala

São empresas que conseguem se beneficiar de compras em quantidade ou produção em escala. Normalmente pagam taxas mais baratas por compra em varejo.

Economias de escopo

São empresas que utilizam o mesmo recurso para oferecer diversos produtos ou marcas.

Como manter a estrutura de custos controlada?

Tão importante quanto mapear a sua estrutura de custos, é mantê-la organizada. Confira alguns cuidados que você deve tomar:

Evite trabalhar com estoques elevados – isso consome recursos financeiros que poderiam ser utilizados em outras áreas da empresa.
Combata o desperdício – procure identificar onde os desperdícios ocorrem no processo produtivo de sua empresa e saná-los.
Obtenha insights para melhorar seu produto – conheça bem o seu produto e questione-se sobre como inová-lo.
Escolha bons fornecedores – desenvolva fornecedores em diferentes lugares e jamais compre uma matéria-prima por impulso.
Mantenha em dia o planejamento tributário do negócio – analisar, antes do início do ano fiscal, se o regime tributário adotado está adequado. Isso pode gerar certas economias tributárias.
Conhecer a estrutura de custos do seu negócio é essencial para garantir a prosperidade financeira da sua empresa e, consequentemente, o destaque da sua marca no segmento em que atua.

Agora que você já como mapear a estrutura de custos do seu negócio, que tal checar como vai a saúde financeira? Baixe o nosso e-book gratuitamente e aprenda a fazer um diagnóstico financeiro para a sua empresa.

CTA-KRK-1--NFE-e-Cobran-as--30

Natália Lima

Natália Lima

Co-Founder & CFO - Keruak Software. Carreira em Administração de Empresas. MBA em Controladoria e Gestão Estratégica. Para se ter sucesso basta dar o melhor de si e deixar os resultados com Deus.

Read More