A captação de recursos é, ao mesmo tempo, um dos maiores desafios e um dos pilares para a sustentação das Organizações Não Governamentais.

Ainda que pareça menos burocrático lidar com a gestão financeira de uma entidade que não objetiva o lucro, os desafios podem ser tão grandes quanto os enfrentados pelas organizações privadas.

No entanto, as ONGs carregam uma predisposição para a experimentação e a inovação. Soluções criativas são muito bem-vindas, principalmente quando se pensa na obtenção de recursos para manter suas atividades.

Mudança no cenário

Não é novidade que o cenário brasileiro mudou em relação às formas como as ONGs arrecadam recursos para desenvolverem suas ações, principalmente quando se pensa nos recursos financeiros.

Anteriormente, era mais factível conseguir capital vindo do governo ou de empresas privadas. Muitas vezes, as ONGs nem necessitavam ter uma postura tão ativa na captação de recursos, pois os próprios doadores as procuravam.

Era comum haver um grande doador, que geralmente era uma empresa, responsável pela manutenção da maior parte dos projetos da ONG. Mas houve uma queda nos valores das doações.

Há mais de uma década, essas entidades têm buscado diversificar os métodos de captação de recursos e isso inclui ir atrás do possível doador ao invés de esperar por ele.

A partir dessa mudança de contexto, percebeu-se um aumento de doações vindas de pessoas físicas, que coincidiu com um período em que a renda média da população aumentou.

Com a variação da origem do capital e dos modos de comunicação entre as entidades e seus doadores, surgiu a necessidade de uma especialização quanto à captação de recursos.

Tendo em vista a situação atual, neste artigo fizemos a seleção de 10 formas de angariar fundos que você vai conferir nos tópicos que virão em seguida.

Mas, antes de listar as maneiras de conseguir recursos para sua ONG, que tal pensar em um plano de comunicação com os possíveis doadores?

O que dizer ao doador em potencial?

Para promover uma comunicação eficiente é preciso conhecer e ser conhecido: o doador em potencial precisa saber todos os detalhes sobre a ONG e seus projetos. Ele tem que se identificar com a causa e entender seus propósitos.

Por outro lado, é preciso que a ONG também conheça seu doador, saiba como e quando ele poderá contribuir e com quais temas ele se identifica.

Para isso, antes de ir atrás do doador em potencial, é comum a montagem de um banco de dados com as informações sobre os doadores frequentes, tendo em mãos seu histórico de doações e as razões pelas quais eles se identificam com a entidade.

Assim será possível a manutenção de doadores já conhecidos e a busca de novos doadores com características semelhantes.

Com isso em mente, é hora de pensar no que dizer a esse doador cujo perfil você já conhece, começando pela apresentação do projeto.

Você quer ajuda para promover qual ação? Quais foram os resultados de ações anteriores que receberam doações nos mesmos moldes? Esse é o tipo de informação que você precisa apresentar.

Pense na captação de recursos como uma forma de promover a ONG, já que são a identificação com a causa e o entusiasmo pelos resultados que vão cativar o doador.

Criar um relacionamento com o doador é a chave para o sucesso no momento de angariar fundos. Mostre o que ele e a entidade têm em comum e como os resultados das atividades desenvolvidas têm feito a diferença na comunidade onde a ONG se insere.

Formas de captação de recursos

Veja a seguir as 10 maneiras de angariar fundos para seus projetos.

Eventos

Além de angariar recursos, essa estratégia também é ótima para promover o trabalho da ONG e reunir a comunidade.

Porém, como a organização de um evento requer a união de uma equipe bastante motivada que, nesse caso, geralmente realiza o trabalho de maneira voluntária, é preciso garantir que as pessoas escaladas estejam muito entusiasmadas com o evento e focadas para que ele seja um sucesso.

Eventos requerem um planejamento muito antecipado, ainda que sejam de pequeno porte. Além do tempo necessário para a organização de cada detalhe, é fundamental pensar no tempo de divulgação.

Para que as metas do evento sejam cumpridas, o maior número possível de doadores em potencial precisa estar presente. Daí a preocupação com o tempo e a estratégia de divulgação.

Venda de produtos e serviços

Esta é uma das alternativas mais utilizadas pelas entidades sem fins lucrativos. Muitas vezes, o produto ou serviço oferecido é confeccionado ou desenvolvido dentro da ONG.

Muitos talentos são revelados com esta opção de angariar fundos, o que pode funcionar como uma estratégia de promoção da própria ONG e da comunidade.

Mala direta

É uma estratégia indicada quando o possível doador ainda não conhece bem os propósitos da ONG. Ela possibilita a apresentação de sua missão de uma maneira pouco invasiva.

Mas cuidado para não generalizar a sua mensagem. Cada projeto precisa de uma abordagem e apresentação próprias, de acordo com as características do doador em potencial.

Telemarketing

É utilizado quando o possível doador já conhece a ONG e até possui um relacionamento com ela. Muito comum quando se pretende contatar doadores assíduos.

E-mail marketing

Uma ótima forma de criar um relacionamento com o doador. O e-mail marketing é uma das possibilidades mais rápidas de atingir um número maior de doações.

Mas o ideal é não o utilizar somente para pedir doações. Envie informações periódicas sobre os trabalhos desenvolvidos pela ONG e como seus projetos impactam continuamente a comunidade.

Assim, você cria um vínculo com o doador, que passa a ter mais confiança na causa.

Crowdfunding ou financiamento coletivo

É uma tendência no mundo todo. Consiste na criação de uma campanha em uma determinada plataforma e pode angariar doações de um número expressivo de pessoas ou instituições que se identificam com a causa.

Seu processo é relativamente rápido e pouco burocrático e pode ser utilizado tanto por grandes ONGs quanto por entidades de menor porte.

Campanhas de doações

Podem ser trabalhadas juntamente com o crowdfunding e envolvem uma estratégia de comunicação muito bem planejada.

As campanhas podem se utilizar do site e das mídias sociais da ONG para divulgar os valores que precisam ser arrecadados e como eles serão aplicados.

Face to face

A arrecadação “cara a cara” é muito comum, principalmente nas grandes cidades. Consiste na ida de voluntários às ruas para explicar às pessoas tudo sobre a causa defendida pela ONG e, em seguida, pedir a doação.

Editais

Fique atento aos editais lançados por empresas de grande porte. Muitas delas se preocupam com causas específicas e premiam, geralmente com valores altos, as entidades que apresentam os melhores projetos.

Leis de incentivo

As leis de incentivo público ao trabalho das ONGs funcionam como uma espécie de patrocínio. Elas são uma forma de estimular a parceria das comunidades com o governo para promover melhorias sociais.

Muitas delas são financiadas a partir da renúncia fiscal por parte do governo: uma parte dos impostos que seriam arrecadados é destinada aos projetos.

Conclusão

Agora que chegou ao fim do artigo, você deve ter várias ideias em mente para levantar os recursos necessários para colocar em prática os projetos de sua ONG.

É claro que a escolha das opções mais adequadas irá variar de acordo com as características da entidade e de seus projetos. Mas você já tem um panorama das possibilidades.Feita a captação de recursos, com o capital em mãos, você vai desejar maximizar os resultados de sua utilização. Para te ajudar nesta missão, recomendamos a leitura do artigo “Gestão financeira: o guia completíssimo para nunca mais errar”.