Para que uma empresa possa alcançar o sucesso que o empreendedor tanto deseja, é importante ter controle do dinheiro que entra e sai. Por isso, entender de gestão financeira se revela fundamental.

Aliás, muitos problemas no dia a dia do trabalho poderiam ser evitados caso houvesse a gestão dos recursos.

Se você tem um negócio e quer aprender mais sobre questão financeira, continue lendo este artigo. Vamos apresentar um guia completo sobre o assunto.

O que é a gestão financeira?

Antes de explicar como fazer a gestão financeira da sua empresa, é necessário entender o que esse termo significa.

Para que o empreendedor seja capaz de tomar decisões acertadas, ele precisa analisar e controlar as atividades financeiras do seu negócio.

Isso possibilita a maximização dos resultados monetários, que é uma grande vantagem para o empreendimento. Afinal, toda empresa gosta de lucrar, não é mesmo?

Nesse momento entra a gestão financeira, que é a utilização de tecnologias, métodos, técnica e conceitos de finanças com o objetivo de potencializar os ganhos de uma organização.

Isso inclui a avaliação das demonstrações financeiras, otimização de investimentos e gerenciamento e controle de contas.

Dessa forma, gerir os recursos econômicos envolve planejamento, administração e controle dessas atividades.

Como adotá-la no seu negócio?

Caso você ainda não faça a gestão financeira da sua empresa, pode parecer complicado implementá-la logo de início.

Por isso, é importante ter conhecimento sobre esse assunto, para que assim a organização tenha o crescimento que tanto deseja. Nesse caso, alguns passos devem ser seguidos.

Estude sobre finanças

Como organizar uma gestão financeira sem entender finanças? Como você deve imaginar, isso não é possível.

Então, caso o seu conhecimento sobre orçamentos seja escasso, comece a buscar informações sobre o assunto. Para isso, vale procurar artigos e vídeos de fontes confiáveis, matricular-se em cursos sobre gestão financeira e por aí vai.

Nessa hora, o importante é sentir que está conhecendo as tendências do mercado, entendendo as questões econômicas e adquirindo um saber teórico dessa área.

Estabeleça um controle mensal

Na gestão financeira, existem empresas que fazem diariamente o controle de gastos mensal, enquanto outros não adotam esse cuidado nem todo mês.

Dessa forma, é importante destacar que todo empreendedor precisa reunir dados a respeito dos gastos da empresa.

Isso possibilita a descoberta de hábitos e tendências financeiras da organização.

Além disso, na hora de fazer o controle, vale a pena separar as despesas em gastos fixos, eventuais e irrelevantes. Assim, já no próximo mês, você é capaz de reduzir a quantia gasta onde não era necessário.

Faça planejamentos

Ao abrir uma empresa, você precisou planejá-la, certo? Mas o ato de ponderar sobre objetivos e futuras decisões não é algo que deve ser esquecido, e sim cultivado diariamente.

Por isso, é importante estabelecer estratégias para aumentar o lucro da organização, formulando as próximas etapas.

Aliás, esse é o momento de criar metas quanto aos gastos e lucros, respeitando o seu limite orçamentário, aprofundando assim os mecanismos da gestão financeira.

Elabore um plano tático

Agora que você já fez um planejamento, chegou a hora de elaborar um plano tático baseado na realidade do seu orçamento.

Nesse momento, dados como despesas e lucros precisam ser incluídos, relacionando-os também com informações passadas, para que assim possa ser criada uma projeção do futuro.

Com base nesses itens, a equipe consegue estabelecer quais são os melhores investimentos a serem feitos, o que se revela como um item importante na gestão financeira.

Esteja em dia com a questão tributária

Se tem um item que o gestor precisa levar em conta na hora de cuidar das finanças de uma empresa, esse item é o tributo.

Isso porque os tributos são obrigatórios e, por isso, precisam ser pagos. Então, é necessário reservar uma quantia a eles sempre que necessário.

Caso não exista um controle desses pagamentos, o atraso acarreta em multas e juros para a empresa.

Aliás, muitos empresários preferem investir o dinheiro reservado com antecedência para o tributo, com o objetivo de que ele esteja mais rentável na data próxima ao pagamento.

Nesse caso, vale a pena conversar com um especialista para descobrir qual é a opção de investimento mais vantajosa.

Quais são as peças fundamentais na gestão financeira?

Um bom gestor deve saber quais são as maiores despesas de sua empresa, onde são gastos os maiores investimentos e em quais setores é necessário dar uma atenção maior. Então, como fazer isso sem a gestão financeira?

Na verdade, não tem como. Ela é fundamental para entender a saúde das finanças do seu negócio.

Durante esse processo, existem três principais itens que devem ser analisados: giro de estoque, fluxo de caixa e gestão de clientes. Entenda melhor a seguir como eles funcionam.

Fluxo de caixa

Para que uma empresa possa funcionar, o empreendedor precisa ter o controle de caixa. Afinal, isso permite que seja possível ver se existem pagamentos atrasados e contas a pagar.

Além disso, possibilita que o gestor faça projeções a curto e longo prazo por meio dessas informações.

Alguns itens que precisam entrar no fluxo de caixa incluem despesas fixas da organização, como conta de luz, água e aluguel.

Logo, ter esse cuidado permite que haja maior controle das movimentações financeiras. Em geral, é recomendável que a sua gestão seja feita de forma periódica, podendo ser por dia, semana ou mês, de acordo com a necessidade.

2019Maio29-KERUAK-campanha-CTA-DRE-semlogo-v2

Gestão de clientes

Supondo que você já tenha uma cartela fixa de clientes, sabe que eles podem ser a sua principal fonte de renda. Por isso, em vez de focar apenas na captação de novos consumidores, é necessário cuidar da gestão dos antigos.

Dessa forma, a gestão financeira deve incluir o cultivo de um relacionamento próximo, atencioso e dedicado com os clientes.

Para isso, é importante conhecer a fundo cada um deles, principalmente em relação aos seus objetivos. Assim, é possível aprimorar a experiência dos consumidores quanto ao seu produto ou serviço.

Em busca da fidelização, melhorar a qualidade dos produtos/serviços e criar ações de relacionamento com os clientes são atitudes que precisam caminhar juntas.

Giro de estoque

Mercadoria parada é dinheiro parado. Por isso, é importante encontrar o equilíbrio e não deixar produtos estocados por muito tempo, além de não deixar faltar nenhum quando o cliente necessitar deles.

Então, o giro de estoque significa manter guardada a quantidade de mercadorias suficiente em relação à sua demanda.Quando for necessário fazer um novo pedido, ele chega a tempo e não compromete a venda.

Assim, essa parte da gestão financeira auxilia o empreendedor na tomada de decisões, para que assim ele possa optar por realizar um pedido ou adiar a compra.

Em muitos casos, o gestor acredita ser melhor comprar uma grande quantidade de mercadoria para reduzir o seu preço. No entanto, se não houver demanda, essa pode se revelar uma medida financeiramente negativa.

Por isso, o giro de estoque é importante porque permite o conhecimento sobre a quantidade de procura e venda dos itens da empresa.

Como a tecnologia pode ajudar nesse processo?

Para auxiliar na gestão financeira, o empreendedor pode contar com a tecnologia a seu favor.

Isso porque já existem softwares voltados para a gestão financeira, permitindo maior controle dos processos e segurança no armazenamento dos dados.

Além disso, os sistemas informatizados facilitam bastante a vida do gestor, pois as finanças ficam integradas num único lugar.

Geralmente, esses softwares são bem fáceis de usar, promovendo a automatização dos cálculos.

Assim, contribuem para a redução no tempo da execução de tarefas de rotina, garantindo também uma menor duração na produção dos relatórios e avaliação dos resultados.

Quais erros não podem ser cometidos na gestão financeira?

Caso você esteja iniciando no mundo dos negócios, saiba que é comum cometer alguns deslizes, porém o mais importante é tentar evitá-los.

Quando o assunto é gestão financeira, diversos erros são frequentemente cometidos pelos empreendedores, acarretando em grandes prejuízos para a empresa.

A seguir vamos te mostrar os 7 erros mais comuns na gestão financeira de pequenas e grandes empresas.

Manter a conta da empresa e a pessoal juntas

Certamente, você já ouviu a frase “Amigos, amigos... negócios à parte”. Nesse caso, a palavra “amigos” poderia ser substituída por “vida pessoal”.

Isso porque muitos empreendedores têm o péssimo hábito de juntar finanças pessoais e empresariais, mas essa é uma atitude que afeta negativamente o negócio, interferindo diretamente na gestão financeira ideal.

Assim, usam o dinheiro pessoal para pagar contas da empresas ou vice-versa. Fazer isso acaba prejudicando a saúde das finanças do seu negócio, pois você começa a gastar mais do que poderia, ignorando o orçamento da organização.

Por isso, desde o início, é importante manter ambas as contas separadas.

Considerar a venda como receita

Registrar uma venda não significa que ela automaticamente se torna uma receita. Afinal, o pagamento pode não acontecer e prejudicar o controle de caixa.

Dessa forma, apenas contabilize como receita o produto ou serviço pago. Se foi feito de forma parcelada, registre os valores a serem recebidos de modo separado.

Não priorizar a organização

Se tempo é dinheiro, você deve otimizá-lo, certo? Para isso, é importante manter a organização da empresa, separando as informações documentais de forma simples.

Então, evite o acúmulo de muitos papéis, como contas e notas fiscais, e procure utilizar sistemas de controle online para armazená-los.

Não unir o setor financeiro e o de vendas

Ainda que cada equipe precise trabalhar dentro da sua própria área para garantir bons resultados à empresa, isso não significa que deve haver uma cisão entre os setores.

No caso do financeiro e de vendas, por exemplo, é importante que se unam em busca do mesmo propósito, que é aumentar o lucro da empresa.

Assim, caso a área de finanças perceba que o investimento está muito maior que o retorno, revela-se necessário conversar com a equipe de vendas para mudar a estratégia.

Ignorar as pequenas despesas

Quando falamos do fluxo de caixa, o objetivo foi mostrar como é importante colocar na ponta do lápis todos os gastos e receitas da empresa.

Isso inclui até mesmo os gastos aparentemente pequenos, mas que podem fazer diferença no final das contas.

Aliás, o desconhecimento sobre o lugar onde vai o dinheiro da empresa é uma das maneiras mais rápidas de resultar em falência.

Por isso, ainda que seja de baixo valor, é importante registrar todos as despesas da organização.

Evitar o planejamento

Ainda que existam empresas que trabalham com a gestão financeira apenas do mês corrente, isso não é nada indicado caso você queira ter sucesso no seu ramo.

Na verdade, é recomendado que seja feito um planejamento financeiro todos os anos, analisando as contas e despesas dos doze meses seguintes.

Esquecer que o foco é o lucro

Como dissemos anteriormente, o foco de uma empresa deve ser o lucro. Assim, as atitudes tomadas pelos gestores precisam levar em conta esse objetivo, ou seja, devem visar a eliminação ou redução de prejuízos.

Por isso, é importante evitar ações que prejudiquem essa meta.

Quais são as vantagens de realizar uma boa gestão financeira?

Adotar uma boa gestão financeira possibilita diversos ganhos para o funcionamento de uma empresa. Conheça alguns deles a seguir:

Planejamento de vendas

Com a ajuda da gestão financeira, é possível identificar os momentos ideais para lançar novas promoções na empresa, reduzir ou aumentar o valor de um produto, ampliando a possibilidade de estratégias que se reverterão em lucros.

Controle de gastos

Ao ter conhecimento exato de quanto a empresa gasta e recebe, torna-se muito mais fácil eliminar as despesas supérfluas, cortando definitivamente esses gastos.

Controle de estoque

Para saber a quantidade exata de produtos que precisam ser estocados, a gestão financeira ajuda a fornecer essa informação, já que identifica os itens mais procurados e os que não apresentam tanta demanda.

Noção realista do negócio

Sem dados concretos sobre a finança da empresa, é muito difícil descobrir se ela está apresentando mais vantagens que prejuízos.

Já com a gestão financeira, é possível entender a situação do negócio, buscando corrigir e prevenir erros.

Previsões orçamentárias

Por saber como está o orçamento da empresa, o gestor consegue estabelecer previsões sobre as finanças futuras.

Criação de estratégias

Ao ter o controle financeiro da organização e entender como ela funciona, torna-se possível criar estratégias para aprimorá-la, levando em conta ações de médio e longo prazo.

Percebeu como gerir o orçamento da sua empresa é fundamental para que ela não vá à falência e ainda dê largos saltos na busca pelo sucesso? Por isso, não deixe de priorizar esse aspecto do seu empreendimento.Além de entender mais sobre a gestão financeira, é importante dar valor à saúde financeira do seu negócio. Descubra como está a saúde do seu negócio clicando aqui!

2019Maio29-KERUAK-campanha-CTA-DRE-semlogo-v1-1