/ Vendas

Aprenda como fazer boleto bancário para facilitar as suas vendas

Cobrar os seus clientes é uma etapa necessária, série e delicada. Oferecer diferentes formas de pagamento, além de fazer sentido para a maioria dos negócios, auxilia na percepção positiva dos clientes do seu negócio. Uma das formas de pagamentos crescentes é o boleto bancário. Hoje nós vamos te ensinar como fazer boleto bancário.

Em 2015, 39% de todos os valores gastos por brasileiros foram feitos usando dinheiro.

O volume – equivalente a quase 1,5 trilhão de reais – coloca o papel moeda como a escolha prioritária no momento da compra para muitas pessoas.

Esses dados foram apurados pela pesquisa “Evolução dos meios de pagamento no Brasil”, realizado pela consultoria Boanerges & Cia.

Portanto, diversificar as formas de receber pode ser um diferencial para sua marca e evitar a desistência de muitos clientes.

Além disso, o pagamento por boleto bancário é menos oneroso. Com certeza você já viu várias lojas oferecendo descontos de até 10% para clientes que pagarem à vista, certo?

Isso ocorre porque as taxas cobradas pelas instituições financeiras costumam ser mais baixas em comparação às transações realizadas com cartão.

Confirmado o pagamento, a liberação do dinheiro também é muito mais rápida. Logo, o boleto torna-se uma opção prática tanto para quem compra e para quem vende.

Inserir o boleto bancário na estratégia de vendas do seu negócio é uma tarefa que exige atenção à procedimentos específicos.

Por isso hoje separamos as melhores dicas sobre como fazer boleto bancário e como isso irá beneficiar o seu negócio. Bom trabalho!

O que é e como funciona um boleto bancário?

O boleto bancário é um meio de pagamento muito popular no Brasil, que permite a cobrança de valores.

Tanto pessoas jurídicas quanto pessoas físicas têm autorização para emitir esses títulos, desde que tenha conta bancária ativa e contratem uma carteira de cobrança junto ao seu banco.

Um boleto é composto por campos específicos, que garantem que o pagamento chegue ao destino final.

Os bancos brasileiros oferecem várias carteiras de cobrança para boleto, cada uma com uma finalidade específica. Por isso, antes de adotar o boleto bancário, o primeiro passo é procurar o gerente do seu banco.

Antes de entender como fazer boleto bancário, saiba que a emissão do boleto fica por conta de ferramentas do próprio banco ou por softwares externos.

A pessoa física ou jurídica, que recebe o nome de cedente, identifica o cliente (denominado sacado) e estabelece um prazo de pagamento, que conhecemos como data de vencimento.

O pagamento do boleto pode ser realizado de diferentes maneiras, como nas bocas de caixa, terminais de autoatendimento, internet banking, casas lotéricas e mais. Quitado o boleto, o valor é entregue ao cedente em um prazo fixado pelo banco.

Vale lembrar que sua empresa, enquanto emissora do boleto, consegue ter controle sobre os títulos em aberto e os já pagos, facilitando a identificação de clientes inadimplentes e a logística de entrega.

Os tipos de boleto e as carteiras

Ok, muito falamos sobre a escolha das carteiras de cobrança para que sua empresa tenha como fazer boleto bancário.

Então chegou a hora de explicarmos um pouquinho mais sobre isso, que tanto influencia em aprender como fazer boleto bancário.

Boleto simples ou sem registro

Essa é uma modalidade que, embora ainda muito falada e usada, perderá sua validade ao final de 2017.

No entanto, é importante discuti-la a fim de estimular que as empresas regularizem sua situação o quanto antes!

O boleto sem registro é emitido pela empresa que tem uma conta a receber, sem a necessidade de especificar um banco exclusivo para receber por esse pagamento. Esse tipo de boleto bancário não precisa ser registrado no sistema do banco.

Também não é obrigatório especificar o valor e a data de vencimento. Mesmo carente de informações importantes, o boleto sem registro costuma ser muito utilizado, principalmente pelas lojas online.

Isso porque quando o consumidor emite o boleto e desiste da compra até o prazo de vencimento, os e-commerces não precisavam arcar com taxas de emissão.

A maior desvantagem do boleto sem registro é que toda essa flexibilidade reduz o controle sobre a cobrança.

Ainda que você preveja multas por atraso, nenhuma penalidade ou cobrança pode ser feita no caso de o cliente optar por não pagar. Além disso, são maiores as chances de fraudes.

O alto número de fraudes envolvendo boletos não registrados foi o principal motivo que levou a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) a criar a Nova Plataforma de Pagamentos.

As alterações estão sendo implantadas progressivamente desde 2013. Uma das principais diferenças é que, desde julho de 2015, novos clientes são obrigados a emitir boletos registrados.

Até dezembro de 2017, todas as carteiras serão migradas para opções com registro. Desde março deste ano, a adequação à Nova Plataforma é obrigatória.

No entanto, a regra começa a valer apenas para boletos com valor superior a R$ 50.000,00. O objetivo, é que até o final do ano, boletos de qualquer valor sejam afetados.

A mudança seguirá o seguinte cronograma, de acordo com a Febraban:

Cobrança com registro

A cobrança registrada está prestes a se tornar a única aprovada pela Febraban. Nesse caso, a empresa que vende precisa comunicar ao banco o nome e CPF ou CNPJ do cliente, além do valor e da data limite do pagamento.

Ao emitir esse tipo de documento, um arquivo é criado e enviado pelo cedente para o banco.
Essa modalidade permite maior rigidez no controle, uma vez que que o cedente pode protestar o título não pago, desde que o serviço tenha sido realizado ou o produto entregue.

A exceção são as lojas em que a cobrança é feita antes. Como o pagamento é antecipado em relação à entrega, se não for pago, o boleto é cancelado sem direito a protesto.

Uma desvantagem desse sistema é a cobrança de tarifa para cada documento emitido. Por isso, busque informações sobre as carteiras de cobrança registradas dos bancos.

Boleto avulso e carnê

Seja o boleto registrado ou não, é normal que haja a separação entre boleto avulso e carnê.

O boleto avulso é o documento que permite a cobrança por uma compra à vista, em uma operação avulsa.

Já o carnê é o nome dado a uma sequência de boletos, cobrando prestações de uma compra ou valores de uma assinatura.

Como fazer boleto bancário?

O primeiro passo que você precisa entender para aprender como fazer boleto bancário é que a emissão é feita primeiramente pelo contrato com um banco, que possui as carteiras de cobrança, associado a um sistema adequado para isso.

Emitir esse tipo de cobrança é possível por diferentes tipos de soluções, como o próprio banco e softwares integrados a um ERP.

Confira cada um dos passos essenciais para emitir um boleto bancário:

Abra uma conta compatível com a emissão de boletos ou solicite ou seu banco a possibilidade de utilizar este serviço;
Escolha um software para a emissão do boleto;
Tenha em mãos todos os dados do cedente (você ou sua empresa) e do sacado (cliente), o valor, prazo de pagamento e afins;
Siga as instruções de geração de cobrança da ferramenta escolhida para emitir o documento;
Imprima ou envie o boleto por e-mail;
Peça instruções do banco para controlar o pagamento de cada boleto ou veja se isso é possível através do software escolhido.

Por que devo adotar o boleto bancário no meu negócio?

Agora que você entendeu como fazer boleto bancário, saiba que essa modalidade possui inúmeras vantagens para o seu negócio! Entenda as principais razões para adotá-lo:

Diversificação das formas de pagamento, facilitando que o cliente feche negócio com você e não desista da compra;
Reduzir custos de cobrança se comparados às tarifas das empresas de cartões;
Cálculo facilitado de multas e juros, em caso de atrasos;
Cobrança do cliente de forma mais impessoal e menos invasiva;
Facilita o negócio com clientes que não possuem cartão de crédito e/ou conta em banco;
Mais rapidez para receber pagamentos;
Maior controle de recebimentos;

Os elementos do boleto bancário

Tão importante quanto saber como fazer boleto bancário é compreender o seu preenchimento correto.

Por isso, é fundamental entender quais são todos os elementos que compõem um boleto bancário e sua utilidade. Confira:

Sacado: é quem paga o boleto, ou seja, o cliente que está sendo cobrado. Nas cobranças registradas, é obrigatório identificar o CPF ou CNPJ.

Cedente: é quem emite a cobrança para receber o valor em conta corrente.

Agência e Código do Cedente: o número da agência tem três ou quatro dígitos enquanto o código do cedente, tem de seis a 12 dígitos, conforme a carteira do banco.
Valor do Título: preço da compra ou contratação, apresentado em reais. É obrigatório informar quais são as condições do pagamento, como juros e multa.
Vencimento: é o prazo máximo para pagar o título, sem juros ou multas. Até a data de vencimento, é possível pagar um boleto em qualquer casa lotérica ou agência.
Juros e Mora: é importante identificar os juros de mora (um percentual definido por mês, cobrado proporcionalmente aos dias de atraso) e multa de mora (um percentual aplicado uma única vez, a partir do dia seguinte à data de vencimento).
Nosso número: um dos itens obrigatórios da ficha de compensação de um boleto, o chamado “nosso número” são os dígitos que identificam o documento e compõe a linha digitável.
Linha digitável: a linha digitável é a sequência de dígitos que identifica o banco, carteira de cobrança, nosso número e o valor da cobrança.

Código de Barras: o código de barras é a representação da linha digitável para máquinas.

Inserir o pagamento por boleto bancário na sua empresa é um atrativo para os clientes, tornando-se uma maneira excelente de impulsionar suas vendas!

Agora que você já sabe como fazer boleto bancário, é fundamental ter uma ferramenta integrada ao sistema do seu banco para controlar os pagamentos. Experimente o Keruak gratuitamente por 30 dias.

CTA-KRK-1--NFE-e-Cobran-as--23

Natália Lima

Natália Lima

Co-Founder & CFO - Keruak Software. Carreira em Administração de Empresas. MBA em Controladoria e Gestão Estratégica. Para se ter sucesso basta dar o melhor de si e deixar os resultados com Deus.

Read More