/ Finanças

Saiba quais formas de pagamento são ideais para o seu negócio

No mercado atual, além de uma empresa pensar em produtos com qualidade e um bom atendimento para oferecer aos seus clientes, ela deve considerar as melhores formas de pagamento.

Isso porque cada cliente possui um perfil, que vai desde aquele mais conservador, que prefere pagar com dinheiro ou cartão, até o mais envolvido com novas tecnologias. O ideal então é expandir seu leque de formas de pagamento para atender aos diferentes perfis.

Preparamos este artigo para ajudar você a conhecer essa variedade e, assim, escolher as opções mais adequadas ao seu negócio. Boa leitura!

Quais as principais formas de pagamento?

Há diversas opções de formas de pagamento que podem ser adotadas. Conheça as principais a seguir.

Dinheiro em espécie

Esta talvez seja a forma mais tradicional de realizar pagamentos. Apesar do crescimento do uso de cartões nos últimos anos, ainda existem aqueles consumidores que preferem o dinheiro em espécie.

Quem se propõe a aceitar essa opção de pagamento precisa se atentar a alguns pontos importantes:

  • ter sempre notas variadas no caixa para facilitar o troco;
  • assegurar a retirada do dinheiro do estabelecimento com segurança.

Alguns negócios costumam oferecer vantagens, como descontos para quem faz o pagamento em dinheiro, prática permitida por lei desde 2017.

Porém, o comerciante é obrigado a informar os descontos em lugar visível, tanto com relação ao meio de pagamento quanto ao prazo. Quem desrespeitar essa regra estará sujeito a multas previstas no CDC.

Cartão de crédito ou débito

Estes são dois dos meios eletrônicos de pagamentos mais utilizados no Brasil. As compras com cartões subiram de R$ 400 bi em 2009 para R$ 1,55 tri em 2018 segundo pesquisa divulgada pela Abecs.

O estudo indica ainda que, de R$ 1,55 tri transacionado no setor de meios eletrônicos de pagamento no Brasil em 2018, R$ 1,54 tri foi transacionado por cartão de crédito e de débito, um aumento de 14,6% e 13,8%, respectivamente, em relação a 2017.

A projeção da Abecs é que os meios eletrônicos de pagamento superem a marca de 40% de participação no consumo das famílias brasileiras no 4º trimestre de 2019.

Entre as vantagens do cartão de crédito para o cliente estão a praticidade de comprar sem ter dinheiro em espécie e a possibilidade de parcelar a compra.

Já o cartão de débito permite que ele efetue transações imediatas, tendo uma moeda de negociação a partir do momento em que paga à vista.

O cliente ainda fica mais seguro do que ao se deslocar com grandes quantias de dinheiro físico e não precisa realizar saques nem enfrentar fila nos bancos para poder comprar.

O negócio, por sua vez, praticamente é obrigado a aceitar cartões de crédito e débito justamente pelo grande número de clientes adeptos a eles.

Uma boa vantagem competitiva é aceitar variadas bandeiras de cartão para atingir um segmento maior do público-alvo.

A empresa ainda deve buscar as melhores taxas com as administradoras, porque os prazos de compensação das vendas são maiores e ainda é preciso arcar com o aluguel ou a compra da famosa maquininha de cartão.

Uma boa pesquisa das taxas de manutenção das maquininhas permite escolher os fornecedores ideais. É importante negociar ainda melhores prazos de recebimento, visando garantir a saúde financeira do negócio.

Cheque

Muito popular antigamente, o cheque vem caindo em desuso no mercado. A vantagem dele para o cliente é o parcelamento de compras com a modalidade pré-datada e ainda a possibilidade de efetivar o pagamento algum tempo depois da compra, quando o cheque será descontado.

Para a empresa, porém, há sempre o risco de descobrir, no momento de descontar o valor, que o cheque não tem fundos.

Esse é um problema que não é enfrentado com os cartões, por exemplo, já que, se a conta do cliente não tiver o montante no momento da compra (débito) ou o limite não a permitir (crédito), ela será negada.

Transferência On-line

Para e-commerce, aceitar cheques não é uma opção. Uma forma de pagamento substituta, nesse caso, é a transferência on-line.

Nessa opção, o cliente é direcionado para uma página de conexão segura, na qual digita seus dados bancários e faz a transferência.

Essa opção é interessante para o negócio, já que o valor é recebido em poucas horas ou em alguns dias. Além disso, há apenas a cobrança de uma pequena taxa para a empresa, que geralmente é menor que R$ 1.

A plataforma escolhida para pagamentos precisa se relacionar com o internet banking das instituições financeiras, que devem ser múltiplas para ampliar o número de consumidores atingidos.

Uma desvantagem, nesse caso, é que o computador em que a compra será efetuada deve contar com um forte sistema de segurança, já que o cliente irá digitar dados bancários, e nem todos os computadores são protegidos adequadamente, o que pode levar o cliente a desistir dessa forma de pagamento.

Boleto bancário

Esta é uma forma de pagamento muito comum no universo e-commerce. Por meio de um programa de computador, a empresa emite um boleto, que possui código de barras e numérico.

O cliente, por sua vez, paga o boleto, e o dinheiro é transferido para o negócio em até três dias úteis, descontada a taxa de emissão do boleto cobrada pelo banco.

Essa taxa é menor do que as cobradas em transações por cartões de débito ou crédito, o que torna o boleto uma forma de pagamento vantajosa para o negócio. Algumas outras vantagens do boleto bancário são:

  • é aceito em todo o país;
  • pode ser pago em qualquer caixa eletrônico, casas lotéricas, agências dos Correios, internet banking e aplicativos bancários;
  • atinge os clientes que ainda têm receio de informar dados de cartão ou bancários em compras on-line;
  • atende aqueles que não utilizam cartão de crédito/débito ou preferem pagar com dinheiro, além dos clientes que não têm conta em nenhum banco;
  • o risco de fraude é menor e não há chargeback.

Já a grande desvantagem do boleto bancário para o negócio é o risco de o cliente fechar a compra, mas não pagar o boleto, o que influencia nas métricas de vendas do negócio.

Isso porque a empresa pode encerrar o mês com um total de vendas realizadas, mas não ter a confirmação ainda dos pagamentos por boleto bancário. Assim, com a confirmação de não pagamento, o número total das vendas será alterado, gerando impactos na visão dos resultados do negócio.

Intermediador de pagamento

Quem conhece ou já ouviu falar em PayPal, PagSeguro, Mercado Pago etc. tem uma noção sobre o que é um intermediador de pagamento, opção frequentemente utilizada no e-commerce.

O intermediador de pagamento é uma plataforma independente, que faz a ligação entre cliente e lojista.

Nessa forma de pagamento, você somente se cadastra como vendedor na plataforma. As grandes vantagens são a baixa complexidade de integrar a loja virtual com o intermediador e a implementação menos onerosa.

Outro benefício é a versatilidade, pois os intermediadores de pagamento podem aceitar diversos cartões de crédito ou ter contratos com bancos para pagamento por boleto ou débito, por exemplo. Além disso, eles contam com bons sistemas antifraude, evitando problemas tanto para o negócio quanto para o cliente.

Uma grande desvantagem, no entanto, é que a cobrança de taxas sobre as vendas é geralmente maior do que a das maquininhas, girando em torno de 4% a 7% acrescidos da tarifa por transação aprovada.

Perde-se ainda a possibilidade de checkout transparente, em que a conclusão da compra é feita no site do próprio negócio, já que o cliente, muitas vezes, é direcionado para a página do intermediador.

Diante dessas e de tantas outras opções de pagamento, você deve estar em dúvida sobre quais escolher para o seu negócio.

Como escolher as melhores formas de pagamento?

O primeiro passo para escolher as melhores formas de pagamento para o seu negócio é avaliar todas as opções. Faça testes entre elas e compare as vantagens e desvantagens que você mesmo verificou.

Como dissemos no início deste artigo, o ideal é conseguir abranger os diferentes perfis de clientes, aumentando as possibilidades de vendas.

Por fim, atente-se à segurança das operações. Se seu negócio é físico, observe onde ele está localizado e se existe risco, por exemplo, de trabalhar com dinheiro em espécie.

A segurança da transação em si também é importante. Decida sempre pensando no que é mais seguro para você, mas também para o seu cliente, buscando evitar fraudes para ambos.

Escolhi as formas de pagamento para o meu negócio. E agora?

Tenha sempre em mente que o cliente precisa ser comunicado claramente sobre as formas de pagamento disponibilizadas pelo seu negócio.

Em um e-commerce, escolha locais de fácil visualização em seu site para informar as formas de pagamento ao usuário. Já em lojas físicas, utilize cartazes ou placas de sinalização específicas. Evite problemas!

Esperamos que este artigo tenha ajudado você a escolher as melhores formas de pagamento para o seu negócio. Outro conhecimento importante na tomada dessa decisão é entender qual o valor do dinheiro no tempo. Leia: O valor do dinheiro no tempo e o poder de compra.

Natália Lima

Natália Lima

Co-Founder & CFO - Keruak Software. Carreira em Administração de Empresas. MBA em Controladoria e Gestão Estratégica. Para se ter sucesso basta dar o melhor de si e deixar os resultados com Deus.

Read More