/ Gestão Financeira

Plano de Contas Contábil: o que é, qual a importância e como fazer

Toda empresa possui contas a pagar e a receber; são os seus créditos e débitos. Para que se tenha sucesso, é essencial uma organização no que diz respeito a todas essas movimentações financeiras. Por esse motivo, a realização de um plano de contas contábil é essencial para que objetivos maiores sejam alcançados.

Saber o que é plano de contas contábil, qual a importância e como fazer é fundamental para que a empresa tenha uma boa gestão e vida financeira saudável.

O gestor de qualquer empresa, não importa em qual ramo ela esteja inserida, precisa estar familiarizado com esse e outros conceitos da contabilidade mesmo que ele não seja o contador ou responsável pelas finanças.

É importante, acima de tudo, que o controle da sua situação financeira seja feito em dia e de maneira detalhada.

Somente assim será possível fazer análises importantes de como anda a empresa, financeiramente falando e, ainda, onde ela pode chegar.

No artigo de hoje, você irá aprender o seguinte:

  • O que é um plano de contas contábil?;
  • A diferença entre o plano de contas contábil e o plano de contas gerencial;
  • O que é ativo e passivo?;
  • Saiba as 8 principais vantagens de um plano de contas contábil;
  • Aprenda a fazer o plano de contas contábil para a sua empresa.

Continue a leitura e aprofunde o seu conhecimento no assunto. Com certeza, o conteúdo presente neste artigo irá fazer grandes diferenças da gestão da sua empresa.

O que é um plano de contas contábil?

O plano de contas contábil, também conhecido como modelo de contas, é um controle financeiro que possui códigos e classificações que registram todas as entradas e saídas da empresa.

Ou seja, em um plano de contas contábil são registradas, de maneira adequada, todas as movimentações financeiras feitas na empresa em determinado período.

As classificações presentes no plano de contas contábil servem como base para a estruturação de outros relatórios financeiros, como a DRE, por exemplo.

Por isso, é importante destacar que o plano de contas contábil não é um relatório financeiro, mas sim a determinação das classificações que vão auxiliar na construção desses relatórios.

A definição dessas contas e suas respectivas categorias, ou classificações, deve ser feita de acordo com os princípios da contabilidade e, ainda, de acordo com a lei nº 6.404/76.

Não existe um formato pré-estabelecido que determine quais categorias devem ser apresentadas no plano de contas contábil; é preciso que cada empresa faça o seu com base em suas particularidades.

Assim, cabe a cada empresa decidir qual será o nível de detalhamento** presente **no plano de contas contábil.

Vale destacar, não existe um limite máximo ou mínimo de quais contas serão incluídas no plano, visto que todas as contas, entradas e saídas, devem ser registradas.

Novamente, é importante lembrar que os gestores da empresa devem ter em mente o que é melhor para a sua gestão.

O plano de contas contábil é um registro das movimentações da empresa, mas existem outros tipos de registro, como o plano de contas gerencial. Apesar do nome parecido, eles não são a mesma coisa.

A diferença entre o plano de contas contábil e o plano de contas gerencial

Tanto o plano de contas contábil quanto o plano gerencial irão registrar as movimentações financeiras da empresa.

A principal diferença entre eles é que o plano gerencial vai registrar apenas as despesas e receitas que a empresa possui.

Dessa forma, uma organização, que é fundamental, será possível para que a empresa tenha uma boa gestão financeira.

O plano de contas gerencial é de fácil leitura e traz um entendimento simplificado a respeito das finanças da empresa.

Sua principal função é estabelecer uma lógica de leitura que será útil para o contador e o gestor financeiro para que seja possível melhor analisar os dados ali presentes.

Ainda, o plano de contas gerencial é bem mais flexível apresentando categorias e subcategorias mais flexíveis de acordo com as necessidades da empresa.

Contudo, é importante lembrar que é necessário que não haja discrepâncias entre o plano de contas contábil e o gerencial. Apesar de suas diferenças, não podem interferir negativamente na apuração do lucro e do prejuízo da empresa.

Enquanto o plano gerencial determina apenas as receitas e despesas, o plano de contas contábil também irá descrever as divisões de ativo e passivo.

A descrição de ativo e passivo pode confundir e dificultar um pouco mais a leitura de um plano de conta contábil, mas não se você souber exatamente o significado destes termos.

O que é ativo e passivo?

Os conceitos de ativo e passivo estão relacionados com a definição de patrimônio, sendo que até mesmo uma pessoa física pode ter um patrimônio, mas iremos focar no termo relacionado a pessoas jurídicas.

De forma simples, patrimônio é o conjunto de todos os bens, direitos e obrigações de uma empresa.

Sendo que o patrimônio pode ser, sempre, revertido em um valor monetário.

Seguindo o raciocínio, os termos de ativo e passivo são divididos da seguinte forma: ativos são os bens e os direitos da empresa.

Enquanto os passivos são as obrigações que a mesma possui.

Como exemplo de bens, que fazem parte do ativo, podemos citar: o dinheiro da empresa, os móveis e imóveis, e até mesmo o estoque da empresa como os bens. E como direitos, que também fazem parte do ativo, podemos citar as dívidas a receber.

Já ao falar dos passivos, podemos exemplificar essa parte do patrimônio ao citar as obrigações que uma empresa tem: suas contas a pagar para fornecedores e para o governo.

Com esses conceitos esclarecidos, fica muito mais fácil entender a diferença entre um plano de contas gerencial e um plano de contas contábil.

O plano de contas contábil é muito mais completo por constar todo o patrimônio que a empresa possui diferenciando-o entre passivo e ativo.

Se você ainda não está convencido de que ter um plano de contas contábil é algo positivo para a sua empresa, fique de olho nos tópicos que listamos para você mostrando as vantagens de implementar esse plano de contas no seu empreendimento.

Saiba as 8 principais vantagens de um plano de contas contábil

O plano de contas é parte essencial da contabilidade para que vários outros relatórios financeiros sejam gerados.

É necessário que o plano de contas contábil seja bem estruturado, completo e que apresente coerência em relação aos conceitos e normas da contabilidade.

Se você tiver um plano de contas eficiente, com certeza a sua empresa irá ver melhores resultados a partir das vantagens que esse registro apresenta. Veja a seguir quais são essas vantagens.

  1. O plano de contas contábil parametriza os registros dentro de normas aceitas;
  2. Traz maior organização nos registros financeiros;
  3. Classifica as despesas e receitas, além do ativo e passivo, em categorias;
  4. Proporciona a padronização das contas;
  5. Facilita a visualização de todas as movimentações que foram feitas dentro da empresa em um período;
  6. Auxilia na elaboração de relatórios e demonstrativos financeiros;
  7. Provê as informações necessárias a uma boa gestão;
  8. Adequa a empresa a exigências externas, principalmente a respeito da legislação do Imposto de Renda e afins.

É possível afirmar que, apesar do esforço inicial necessário para elaborar o plano de contas contábil, contar com essa ferramenta na gestãoda sua empresa é essencial para que resultados importantes sejam alcançados.

A organização que o plano de contas contábil traz possibilita uma gestão financeira mais eficiente e, portanto, com resultados ainda melhores.

Agora, que você já sabe o que é o plano de contas contábil e quais as suas vantagens, é o momento de sabermos como estruturar o seu plano.

Aprenda a fazer o plano de contas contábil para a sua empresa

Para te ajudarmos a elaborar o plano de contas contábil para a sua empresa , vamos fazer um pouco da estrutura que um plano de contas deve ter.

Como já comentamos ao longo do nosso artigo, cada empresa deve ter o seu plano de contas contábil próprio, levando em consideração a sua realidade e particularidades.

Contudo, existem alguns elementos que não podem faltar em um plano de contas contábil. Esses elementos são, principalmente, a divisão das contas em quatro grandes grupos: ativo, passivo, receitas e despesas.

Lembrando que os dois primeiros fazem referência às contas de patrimônio da empresa, e os dois últimos, às contas de resultado do exercício.

A estrutura de um plano de contas contábil conta com a divisão desses quatro grandes grupos, sendo que cada um deles possui subdivisões.

Algumas dessas subdivisões, como as de ativo e passivo, são pré-estabelecidas por lei e, por isso, é preciso ter muita atenção no momento de elaborar o seu plano de contas contábil.

Vamos descrever quais são as subdivisões que devem estar presentes para que o entendimento fique mais claro. Acompanhe logo a seguir.

Ativo

  • Circulante;
  • Não circulante;
  • Realizável a longo prazo;
  • Investimentos;
  • Imobilizado;
  • Intangível.

Passivo

  • Circulante;
  • Não circulante;
  • Patrimônio Líquido.

Contas de resultado

  • Receitas;
  • Despesas.

Ainda dentro dessas subdivisões básicas, podem, e devem existir outras divisões. É o que chamamos, de maneira geral, de primeiro nível, segundo nível e terceiro nível.

O primeiro nível corresponde a uma classificação geral. O segundo, a uma classificação detalhada e o terceiro a uma em particular. Olhe esse exemplo:

1 Ativo

1.1** Ativo Circulante**

  1.1.1 Disponível

     1.1.1.1 Caixa

     1.1.1.2 Movimento do banco

  1.1.2 Realizações

     1.1.2.1 Clientes

     1.1.2.2 Aplicações e investimentos financeiros

  1.1.3 Estoque vigente

     1.1.3.1 Mercadorias para revenda

     1.1.3.2 Produtos acabados

     1.1.3.3 Insumos

     1.1.3.4 Outros

1.2 Ativo não circulante

  1.2.1 Realizável a longo prazo

     1.2.1.1 Títulos a receber

  1.2.2 Investimentos

     1.2.2.1 Participações societárias

     1.2.2.2 Imóveis para ganho de renda

  1.2.3 Imobilizado

     1.2.3.1 Imóveis

     1.2.3.2 Outras instalações

     1.2.3.3 Máquinas e equipamentos

     1.2.3.4 Veículos

     1.2.3.5 (-) Depreciação acumulada

  1.2.4 Intangível

     1.2.4.1 Marcas e patentes

     1.2.4.2 _Softwares_

Nesse caso, o "1 Ativo" corresponde ao primeiro nível. O "1.1 Ativo circulante" corresponde ao segundo, já detalhado. E o "disponível" ao terceiro nível, de maneira ainda mais particular.

Esse é apenas um exemplo das subdivisões que podem existir dentro de um plano de contas contábil.

Ao elaborar o seu plano de contas contábil, é necessário pensar em qual nível de detalhamento você quer para a sua empresa e gestão.

O número 1 escolhido para representar o ativo não foi por acaso. Esse número faz parte dos códigos criados que irão constituir todo o plano de contas contábil.

Por exemplo, o 1 se refere ao ativo, enquanto o 2 se refere ao passivo e o 3 às contas de resultado.

Essa numeração deixa a visualização bem mais fácil. Dessa forma, quando você for procurar alguma conta em específico, será mais fácil de achá-la.

O plano de contas contábil é uma ferramenta de gestão contábil que pode ser feita em uma planilha no Excel ou até mesmo através de um software. Mais uma vez, é necessário lembrar que é preciso analisar o que é melhor para a empresa diante do seu cenário atual.

Através desta ferramenta simples e eficaz, o gestor financeiro pode ter uma visualização clara e abrangente das informações relativas à empresa.

Não perca mais tempo e crie logo o seu plano de contas contábil e observe todos os benefícios que ele vai trazer para a sua gestão.

Ao longo do nosso artigo, comentamos que o plano de contas contábil é muito útil por servir de base para outros relatórios e demonstrativos financeiros. Nós temos um artigo excelente sobre o assunto; você não pode deixar de conferir: Relatórios gerenciais: qual a importância e como fazê-los?

CTA-KRK-2--Relat-rios--13

Natália Lima

Natália Lima

Co-Founder & CFO - Keruak Software. Carreira em Administração de Empresas. MBA em Controladoria e Gestão Estratégica. Para se ter sucesso basta dar o melhor de si e deixar os resultados com Deus.

Read More