Praticamente todos que trabalham ou se interessam pela área de finanças têm procurado saber o que é PIX nos últimos meses.

Trata-se de um novo meio de pagamentos e transferências que funcionará instantaneamente e poderá ser usado a partir de novembro deste ano.

Essa novidade foi anunciada pelo Banco Central em fevereiro e já tem gerado ansiedade por prometer muitas mudanças e ter vários pontos positivos.

Neste artigo, vamos explicar o que é PIX, como ele vai funcionar e quais são as suas vantagens.

Nos próximos tópicos, você vai tirar todas as suas dúvidas para se preparar para utilizar esse novo recurso assim que ele começar a funcionar.

O que é PIX?

Podemos dizer que o PIX é uma nova maneira de fazer pagamentos e transferências instantaneamente e em qualquer dia do ano, independentemente de ser fim de semana ou feriado.

A promessa é que as transações sejam concretizadas em até 10 segundos, ou seja, não haverá a necessidade de aguardar até o dia útil seguinte para que o pagamento caia.

Em outras palavras, com o PIX as transações serão feitas em tempo real e sem intermediários. O dinheiro vai sair de uma conta e irá direto para o destinatário.

Com isso, as transações serão facilitadas em vários aspectos, como a rapidez, a alta disponibilidade e a diminuição de custos.

A seguir, vamos desdobrar esse assunto, pois não é suficiente saber o que é PIX, você precisa entender sua funcionalidade e seus benefícios.

Por que o PIX surgiu?

Depois de entender o que é PIX, surge a dúvida sobre sua funcionalidade, pois já existem no mercado alternativas para fazer pagamentos e transferências.

A principal motivação para implantar essa inovação foi a diminuição dos custos das operações de pagamentos e transferências.

Atualmente, se você precisa fazer uma transferência entre contas de bancos diferentes, é preciso utilizar DOCs ou TEDs. Já os pagamentos são quase sempre feitos por meio de boletos bancários.

Essas são transações que podem ser demoradas e quase nunca são concluídas no mesmo dia. Além disso, elas custam caro.

Por outro lado, utilizar o dinheiro vivo, seja para pagar um boleto, seja para sacar de um banco e fazer um depósito em outro, pode ser muito arriscado tanto para quem paga quanto para quem recebe.

Com o surgimento do PIX, as outras possibilidades continuam vigentes, mas a previsão é de que elas estejam com os dias contados tamanha as vantagens do novo modelo.

O que vai mudar com a chegada do PIX?

Para entender melhor as mudanças, vamos explicar como funcionam o DOC e a TED atualmente.

Para começar, é preciso lembrar que ambas as possibilidades só funcionam em dias úteis e que as transações podem demorar dias para serem concluídas.

Por meio do DOC (Documento de Ordem de Crédito), pode-se transferir para outra instituição financeira no máximo R$ 4.999,99 e o dinheiro chega à conta de destino no dia seguinte. Caso a transação seja feita depois das 22h, o valor pode demorar mais um dia útil para cair.

No caso da TED (Transferência Eletrônica Disponível), o dinheiro chega à conta de destino até as 17h do mesmo dia e é possível transferir valores tanto maiores quanto menores que R$ 5.000,00.

A partir da chegada do PIX, você poderá esquecer todas essas restrições, pois o novo meio de pagamento e transferência funcionará 24 horas por dia e 7 dias por semana.

Além dessa alta disponibilidade, outra mudança está relacionada ao tempo de conclusão da transação: serão apenas alguns segundos. Então, nada de esperar o dia útil subsequente.

A partir dessas considerações, temos uma noção melhor do que é PIX quando o comparamos ao DOC e à TED.

Em resumo, atualmente pagamentos de boletos e transações como TEDs e DOCs precisam ser feitos em dias e horários restritos, mas no momento da implantação do PIX, tudo isso poderá ser feito em qualquer data do ano e a qualquer hora.

Tudo funcionará como são hoje as transferências entre contas do mesmo banco: com instantaneidade e flexibilidade de datas e horários.

Quais são as vantagens do PIX?

Agora que você já entendeu o que é PIX, vamos enumerar suas principais vantagens para te ajudar a visualizar as situações em que essa novidade poderá ser útil para você.

  • Velocidade: se você precisar fazer uma transação não planejada, não terá que fazer as contas para saber quando essa transação será efetivada, porque ela será concluída em alguns segundos;

  • Segurança: de acordo com o Banco Central, o sistema do PIX contará com a possibilidade de pagamentos por aproximação, reconhecimento facial e identificação biométrica. O uso do QR code é mais um fator que vai evitar fraudes e erros;

  • Redução de custos: segundo o Banco Central, as especificidades do sistema PIX tornarão os custos das transações menores e isso consequentemente será repassado aos usuários;

  • Redução de prazos: com a velocidade das transações otimizada, os prazos das operações de compra e venda de produtos também serão impactados. Isso ficará muito visível, por exemplo, no e-commerce, pois não será necessário esperar os conhecidos três dias úteis para a confirmação do pagamento por conta da demora na compensação bancária;

  • Datas e horários irrestritos: ao lado da velocidade das transações, essa é a vantagem mais lembrada. Simplesmente será possível realizar as transações 24 horas por dia, 7 dias por semana, todos os dias do ano.

Como serão as transações com PIX?

As transações com PIX serão muito parecidas com o que hoje é feito por meio de DOC e TED, porém com todas as vantagens expostas acima.

Conforme estabelecimento do Banco Central, poderão ser feitas transações entre pessoas; entre pessoas e estabelecimentos comerciais; entre estabelecimentos; e para entidades governamentais, no caso do pagamento de impostos e taxas.

Para utilizar o PIX, será preciso que tanto quem envia o valor financeiro quanto quem o recebe tenham uma conta em um banco, fintech ou instituição de pagamento.

As transações via PIX poderão ser feitas de maneira semelhante ao DOC e à TED, ou seja, com o fornecimento de informações como número de telefone, e-mail, CPF ou CNPJ.

Mas uma alternativa serão as transações de PIX feitas com o apoio dos QR Codes estáticos e dinâmicos, que terão aplicações diferentes.

O início do funcionamento do PIX está marcado para o dia 3 de novembro de 2020. Nesta data, bancos e fintechs com mais de 500 mil contas terão que estar preparados para oferecer esse novo serviço a seus clientes bem como para receber essa transação vinda de outras instituições.

O prazo para que o sistema esteja funcionando completamente é o dia 16 de novembro.

Depois de compreender o que é PIX e antes de começar a adotá-lo nas suas transações, que tal exercer um controle mais detalhado sobre as finanças da sua empresa por meio da conciliação bancária? Temos em nosso blog um ótimo artigo sobre esse assunto. Confira clicando aqui.