A área de finanças é uma das maiores preocupações das empresas. A segurança financeira é aquele momento que todos sonham: ficar tranquilo com relação às contas.

Existe uma diferença entre ficar atento e ficar preocupado. Vamos mostrar nesse texto como ficar de olho nas contas sem se estressar com elas.

Separamos sete dicas para que sua empresa finalmente conquiste uma segurança financeira. Para poder colocar os ensinamentos em prática agora mesmo.

Por que a segurança financeira é tão importante?

Depois das grandes crises no mercado, a segurança financeira tem sido cada vez mais valorizada dentro das empresas.

A crise econômica de 2007, por exemplo, atingiu negócios de diversos setores em diferentes países do mundo, levando à falência de muitas empresas.

Isso poderia ter sido evitado se as empresas tivessem um fundo de reserva, por exemplo, o que teria aumentado a segurança financeira dessas organizações.

É necessário implementar alguns pontos básicos da educação financeira para evitar os problemas mais graves, como o endividamento.

Para a empresa, é muito importante ter tranquilidade na hora de lidar com os recursos financeiros. Um planejamento visando a segurança financeira ajuda não só no controle de gastos como também na assertividade das tomadas de decisão.

O negócio que consegue controlar suas próprias contas tem mais liberdade e segurança na hora de investir no futuro a médio e longo prazo.

Isso também garante a sobrevivência da empresa em momentos difíceis. Por isso, a segurança financeira deve ser prioridade desde antes da abertura da empresa.

Mas se você ainda não tinha parado para pensar nisso, não se preocupe! A seguir, nós vamos mostrar algumas atitudes que você pode tomar agora para garantir o sucesso sem dor de cabeça.

8 dicas para aumentar a segurança e a solidez da empresa

Agora que você já viu como é importante pensar na segurança financeira, você deve estar se perguntando o que é preciso fazer para alcançá-la.

Inicialmente, pode parecer um grande desafio, mas é uma questão de disciplina e costume. Aumentar a produtividade da empresa e, consequentemente, os lucros seria uma boa alternativa, mas nem sempre esse resultado vai ser possível.

Sabemos que hoje os gastos da empresa com manutenção, mão de obra e marketing são bastante elevados e, muitas vezes, não é possível cortá-los.

Separamos 8 dicas para você conquistar a segurança financeira da empresa e garantir sua solidez:

Não misture a conta pessoal com a da empresa

Esse é um erro que é mais comum em pequenas e médias empresas e que pode gerar uma série de complicações.

A primeira delas diz respeito ao próprio controle financeiro. Os gastos pessoais seriam misturados com as finanças corporativas, o que também traz problema quanto ao sigilo dos dados pessoais do empreendedor.

Mesmo que a empresa não tenha com uma assessoria contábil, provavelmente ela conta com um colaborador responsável pela contabilidade.

Isso fará com outras pessoas tenham acesso aos dados bancários do empreendedor. Além disso, misturar o dinheiro pessoal com o da empresa não parece profissional aos olhos da própria equipe.

Um outro problema é relacionado à questão burocrática e tributária. Se o dinheiro que entra na sua conta não é registrado, ele cai no que chamamos de dinheiro sem lastro.

A Receita Federal vai exigir que você explique de onde veio aquele montante. Para justificar, vai ser necessário falar sobre as atividades da empresa.

Fique atento a essas questões antes mesmo de abrir a empresa. Assim, você evita problemas futuros.

Diversifique seus clientes

É claro que é importante dar bastante atenção para o seu consumidor fiel, mas é igualmente necessário pensar da diversificação.

Geralmente, as empresas acabam focando mais em um determinado nicho de mercado (que acreditam ser mais lucrativo), o que faz com que sua base de consumidores seja homogênea.

Para conseguir uma diversificação e não ficar dependente de poucos clientes, o ideal é pensar em outros nichos e construir estratégias de atração e fidelização também para esses novos clientes.

Lançar um novo produto ou serviço pode ajudar nessa expansão do portfólio. Essa renovação é importante para assegurar o equilíbrio financeiro, aumentando o fluxo de novos clientes, mas sem se esquecer dos antigos e sem diminuir a qualidade do serviço.

Invista no planejamento financeiro

Um bom planejamento, aliado à gestão financeira, ajuda a controlar as despesas e a monitorar os custos.

Acompanhe periodicamente como andam suas finanças. Antecipe os gastos e coloque tudo dentro do orçamento.

Nesse controle, entram também a gestão de pagamentos e cobranças, o controle das notas fiscais, os clientes com pagamento atrasado e os pagamentos a serem feitos pela empresa.

Fique de olho em todas as movimentações financeiras. Além de ter mais controle sobre as contas, fica mais fácil se for preciso cortar despesas.

Avalie a situação da empresa mensalmente. Só assim você consegue acompanhar as mudanças do mercado e entender a necessidade de readaptação, caso seja necessário.

Para fazer o seu planejamento financeiro, você pode fazer planilhas ou utilizar um software de gestão financeira, como o da Keruak.

Faça uso da tecnologia

Os recursos tecnológicos ajudam a minimizar as falhas humanas e fazer cálculos mais rápidos e com maior precisão.

A automação dos processos pode ser implementada em outros setores, além do financeiro. Áreas como TI, administração e até RH podem ser beneficiados com a tecnologia.

A eliminação do trabalho repetitivo permite que os colaboradores foquem nas próprias atividades, aumentando a produtividade e dando um passo à frente na busca pela segurança financeira.

Tenha um fundo de reserva

Um fundo de reserva é essencial para cobrir despesas não planejadas. Pode acontecer de uma máquina quebrar e precisar ser substituída ou a empresa ter as vendas reduzidas em determinado mês.

Para ter esse fundo é preciso, antes de tudo, quitar suas dívidas. Depois disso, você deve poupar dinheiro suficiente para manter a empresa aberta por alguns meses, mesmo que não tenha entrada de capital.

A segurança financeira só é possível com uma margem de erro confortável, e isso pode ser possível com um fundo de emergência.

Faça novos orçamentos

Qual foi a última vez que você renegociou os preços com seus fornecedores? É muito bom ter o mesmo fornecedor há anos, mas é preciso avaliar se o contrato ainda está compensando.

Faça uma pesquisa de mercado para comparar os preços com os de seu fornecedor. Caso estejam acima da média, tende negociar um desconto.

Se não for possível, estude a possibilidade de trocar de parceiro. Mas lembre-se de pesar o custo-benefício, já que um novo fornecedor pode não trabalhar da forma que você está acostumado.

Aumente o ticket médio

O ticket médio é o valor referente à média gasta pelos consumidores em produtos e serviços da sua empresa, levando em conta quantos negócios foram fechados e o valor de cada um deles.

Se você aumenta a média os consumidores gastam, também aumenta o seu lucro.

Para aumentar esse ticket médio, procure manter o contato com seu cliente. Treine sua equipe para prestar um excelente atendimento e deixar o consumidor satisfeito.

Além disso, diversifique seus produtos e incentive a fidelização, através de programas de pontos, descontos progressivos ou cartões-fidelidade.

Faça investimentos

Quando a segurança financeira é estabelecida na sua empresa, você passa a ter um equilíbrio nas contas.

Isso faz com que a empresa se torne mais lucrativa, e esse lucro pode ser reinvestido para melhorias dentro do seu negócio.

Quem sabe comprar um maquinário mais novo e tecnológico ou até mesmo abrir uma filial? É uma forma de garantir uma estabilidade e conquistar mais independência.

Existem diferentes formas de investimento, como os títulos públicos e Tesouro Direto ou mercado de ações, que enseja um pouco mais de risco. Veja qual deles é o mais adequado à realidade da sua empresa. Preparado para colocar as dicas em dia em conquistar a segurança financeira da sua empresa? Se você leu esse texto até o final, complemente seus conhecimentos com o texto: ROI: tudo o que você precisa saber sobre o retorno sobre investimento.